01 de dezembro é dia mundial de luta contra Aids. A data não é para celebrar, mas para refletir. Segundo o último Boletim Epidemiológico divulgado pelo Ministério da Saúde, no Brasil, de 2007 até junho de 2016, foram notificados 136.945 casos de infecção pelo HIV.

Em relação à Síndrome da Imunodeficiência Adquirida (Aids), doença causada pelo vírus HIV, são mais de 842 mil casos registrados no período de 1980 até junho deste ano. Nosso país tem registrado, anualmente, uma média de 41, 1 casos nos últimos cinco anos.

Os números assustam e a população ainda tem dúvidas sobre o assunto. Já para quem recebe a notícia de que é soropositiva(o), além do baque do resultado do exame, ainda há o preconceito.

Para esclarecer sobre o HIV/Aids, eu entrevistei a Cassandra Loureiro Mangabeira, que é médica com Residência em Infectologia, especialista pela Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI) e em Doenças Tropicais pela Universidade de Brasília (UNB), além de ser Mestre em Terapia Intensiva.

Vírus HIV
Vírus HIV. (Thinkstock/VEJA/VEJA)

 Qual a diferença entre HIV e Aids?

HIV –  é uma sigla em inglês que significa vírus da imunodeficiência humana. Este vírus é causador da AIDS atacando o sistema imunológico que é responsável por defender o organismo de doenças. Ter HIV não é a mesma coisa que ter a AIDS, pois existem muitos pacientes soropositivos para HIV que vivem anos sem apresentar sintomas e sem desenvolver a doença, mas podem transmitir o vírus para outras pessoas. AIDS é a síndrome da imunodeficiência adquirida (O Paciente já apresenta a doença, porque já tem alguma infecção oportunista)

Quais as formas de transmissão do vírus HIV?

A transmissão do vírus HIV pode ocorrer pela via sexual (Vaginal e/ou Anal e Oral), Transfusão sanguínea com sangue contaminado com o vírus HIV, transmissão vertical (Que é da mãe infectada, para o filho durante a gestação, parto ou durante a amamentação), Instrumentos que perfuram ou cortam não esterilizados, uso compartilhado de seringas ou agulhas contaminadas.

 Quais os sintomas da doença?

Febre, aparecimentos de gânglios, cefaléia (dor de cabeça), diarréia por mais de 30 dias, perda de peso, astenia, candidíase oral e etc.

Fonte: agenciaprefixo.com

Como a pessoa pode prevenir o risco de adquirir o HIV?

Recomenda-se o uso de preservativo durante as relações sexuais, a utilização de seringas e agulhas descartáveis e o uso de luvas para manipular feridas e líquidos corporais, bem como testar previamente sangue e hemoderivados para transfusão. Além disso, as mães infectadas pelo HIV, devem utilizar durante a gestação os antirretrovirais para prevenir a transmissão vertical e não amamentar seus filhos.

 O que é considerado comportamento de risco?

Atualmente, não há distinção entre grupo de risco e grupo de não risco. No começo da epidemia pelo fato da doença Aids atingir principalmente os homens homossexuais, os usuários de drogas injetáveis e os hemofílicos, eles eram na época considerados grupo de risco, hoje, fala-se em comportamento de risco, pelo fato do vírus não estar mais concentrado apenas nesses grupos específicos. Considera-se comportamento de risco relação sexual (Homo ou Heterossexual) com pessoa infectada sem o uso de preservativo, compartilhamento de seringas e agulhas, principalmente, no uso de drogas injetáveis, reutilização de objetos perfuro-cortantes com presença de sangue ou fluídos contaminados pelo HIV.

Se alguém com HIV estiver com algum ferimento, como fazer para ajudar e ao mesmo tempo se proteger?

 Uso de equipamentos de proteção individual (Luvas e óculos de proteção)

Fonte: thehivdisclosurestudy.com
Fonte: thehivdisclosurestudy.com

O que fazer quando a camisinha estourar?

 Procurar atendimento médico na emergência do pronto atendimento para realizar exames (Teste Rápido para HIV e Hepatites Virais) assim como iniciar a profilaxia pós exposição com o vírus com a medicação antirretroviral específica. Fazer acompanhamento ambulatorial deste paciente. Reforço a importância de iniciar a profilaxia até 2h após a exposição e não ultrapassar 72h.

Onde a pessoa pode fazer o teste do HIV?

CTA (Centro de Testagem anônimo, ao lado do Hospital Coronel Mota, pronto atendimento do HGR, maternidade e nas Unidades Básicas de Saúde.

 O que é janela imunológica?

É aquele período em que o organismo ainda não produziu anticorpos contra o vírus HIV, que geralmente é de 30 – 60 dias, porém a pessoa pode transmitir o vírus.

Se for à manicure, utilize seus próprios materiais. Caso não tenha, verifique se o equipamento é esterilizado de forma correta.
Se for à manicure, utilize seus próprios materiais. Caso não tenha, verifique se o equipamento é esterilizado de forma correta. E, se você é manicure, utilize luvas. Projeta-se!

Se o resultado do teste for positivo, quais os procedimentos a serem adotados para o acompanhamento do paciente?

O Paciente deverá procurar o SAE (Serviço de Assistência Especializada) para os portadores do vírus HIV e Hepatites Virais que está localizado no Hospital Coronel Mota, que conta com uma equipe de multiprofissionais especializados.

Como é o tratamento para quem tem o HIV?

O tratamento é feito com medicação conhecida como TARV (Terapia Antirretrovial) que é prescrito pelos médicos do SAE e fornecidos gratuitamente pelo governo federal.

De que forma a pessoa soropositiva pode ter melhor qualidade de vida?

Procurando fazer o seu acompanhamento médico ambulatorial, adesão a terapia antirretroviral, uma alimentação adequada na medida do possível, assim como preservar as horas de sono, etc.

 Como a sociedade pode ajudar um soropositivo?

Levando-o ao Serviço de Assistência Especializada, onde encontrará uma equipe multiprofissional para ajudá-lo.

Fonte: Giphy.com
Fonte: Giphy.com

O site do Ministério da Saúde tem informações detalhadas sobre o HIV/Aids. Clique aqui para você obter outras informações sobre o assunto! Informe-se! E projeta-se! Não seja mais um(a) na estatística.

Gostou? Deixe seu comentário

Comentários

Comentários fechados!.