Crédito: drjordivila.com

O povo brasileiro é um dos mais vaidosos do mundo. Essa preocupação com a imagem pode ser medida por meio de um levantamento realizado pela Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica e Estética, que foi divulgado em 2014. Segundo a pesquisa, o nosso País foi o que mais realizou procedimentos cirúrgicos em 2013. Em geral, as operações mais procuradas são a lipoaspiração e os implantes de próteses mamárias. Mas, a Cirurgia Plástica vai além da questão estética, podendo ser um meio utilizado para corrigir aspectos funcionais do corpo humano e também melhorar a saúde mental do paciente. Como todo tipo de intervenção cirúrgica, ela apresenta riscos. Por isso, a importância de você procurar um bom profissional para fazer o procedimento com tranqüilidade e, principalmente, segurança.

Com o Cirurgião Plástico, Antero Frisina.
Com o Cirurgião Plástico, Antero Frisina.

Para tirar um pouco das dúvidas sobre a Cirurgia Plástica, eu conversei com o médico Antero Frisina, que é super conceituado aqui em Boa Vista. Ele nasceu em Bauru, São Paulo. Formou-se em Medicina e especializou-se em Cirurgia Plástica, na Universidade Federal de Uberlândia, Minas Gerais. Já atuou em Uberlândia, Goiás e mora há sete anos em Roraima.  Já realizou mais de 500 procedimentos em Boa Vista e atende pessoas de vários lugares do Brasil e do mundo.  Confira!

1.Quais as etapas que o(a) paciente percorre até chegar ao centro cirúrgico?

O primeiro fator é uma consulta presencial. Não existe mídia social ou essas coisas. O paciente vem ao meu consultório, nós conversamos bem sobre a expectativa dele e o que esse paciente quer. Falamos sobre tudo, inclusive, alimentação.  Chega-se a um acordo entre o médico e a paciente sobre o que pode ser feito. Eu explico todos os prós e contras da cirurgia, os riscos e juntos, nós resolvemos o que deve ser feito. A partir daí, nesta mesma consulta, fazemos uma investigação profunda da questão de saúde do paciente. Logo depois, pedimos todos os exames pré-operatórios e, caso o paciente tenha algum problema de saúde, pedimos o apoio de outro profissional, como vascular, o endócrino, às vezes até o gastroenterologista. No caso de cirurgia de mama, nós pedimos também o acompanhamento com o mastologista. Como é possível perceber, há uma visão multidisciplinar deste paciente. Cirurgia plástica é um procedimento médico, um procedimento grande, que precisa de muito conhecimento, tato, boa formação. O profissional deve saber muito bem o que você está fazendo. Quando você  tem um bom serviço, um cirurgião competente, você tem uma imensa segurança.

2.Em geral, quais são os exames solicitados?

Nós pedimos muita coisa. Analisamos como está a questão renal, anemia, a parte cardiológica. Esses são os exames básicos, os iniciais.  Verificamos também se há algum sinal de diabetes. Já aconteceu de, muitas vezes, o paciente descobrir que tem a doença no consultório de cirurgia plástica.

3. É muito divulgado na imprensa de celebridades, sobre a rápida recuperação em cirurgias plásticas. Muitas vezes, comenta-se nestas publicações, por exemplo, que a pessoa fez uma lipo e em dois dias está no palco. Como você analisa a questão da banalização da cirurgia plástica?

Hoje em dia, por causa deste tipo mídia, nós temos uma imensa banalização da cirurgia plástica. Por outro lado, atualmente, nós temos uma revolução muito grande desse pós-operatório e é muito mais tranqüilo. O paciente normalmente sai andando do hospital. A recuperação depende demais do tipo de cirurgia que o paciente vai fazer. As cirurgias abdominais, por exemplo, são procedimentos que tem um risco maior e merecem cuidados.  Repouso não existe mais. Esse negócio de ficar na cama no pós-operatório não existe mais. É importante que o paciente já ande o mais rápido possível. Mas, tudo isso tem recomendação. Então, por exemplo, a recuperação é de, no mínimo, uma semana para o paciente ter tranquilidade, questão de infecção e tudo isso. Agora, dependendo da cirurgia, eu geralmente aconselho que o paciente, em geral, possa retomar algumas atividades em 15 dias. Mas, é preciso salientar que, dependendo da cirurgia, a recuperação do paciente pode demorar dois meses.

4.Quais as cirurgias plásticas mais realizadas em Roraima?

Aqui é lipo e mama, em geral. Nós temos tanto aumento com prótese, como também o procedimento para levantar a mama, que se chama mastopexia, e a redução de mama também acontece.

5. Em 2012, a Anvisa suspendeu a venda dos silicones da marca francesa PIP , que tinham silicone industrial e risco de ruptura. Gostaria que o senhor explicasse quais as orientações que o paciente deve fazer neste sentido.

Neste caso, essa prótese conseguiu passar pela Anvisa e era criminosa, porque não foi usado silicone médico, mas industrial. O problema é que quando ele vazava, induzia a pessoa a ter câncer. Eu tenho um trabalho na revista da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, em que uma paciente fez a injeção deste tipo de silicone e que tinha três tipos de câncer nas duas mamas. Ela aplicava o silicone industrial, o que acontece muito no Brasil. Esse produto é altamente cancerígeno. O pessoal da França, na verdade, era uma pessoa, um empresário que fez a prótese totalmente fora das normas. Mas, aqui no Norte, pelo menos, essa prótese não chegou. A Anvisa no Brasil, graças a Deus, é boa. Ela tem uma fiscalização intensa, a vigilância é fortíssima. Com relação ao material, eles são super rigorosos e conservadores. Essa prótese passou por acaso.

6.Quanto custa, em média, uma cirurgia de implante de prótese de silicone e quais são os elementos incluídos neste valor?

Não posso falar de valores, porque é antiético. A questão é a seguinte: em uma cirurgia de prótese, nós vamos ter custos com a equipe cirúrgica, a anestesia, o material externo e a parte hospitalar. São quatro custos separados.

7.Quais os cuidados que a pessoa deve tomar na hora de escolher o cirurgião plástico?

A primeira coisa que a pessoa deve fazer é procurar a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica ou buscar no Conselho Federal de Medicina. A formação da Cirurgia Plástica no Brasil é bem rigorosa, tanto que a gente tem bons resultados, inclusive, em relação a questão da segurança.

8.Como é a preparação do médico para ser cirurgião plástico no Brasil?

Para ser um cirurgião plástico, você vai cursar medicina, que são seis anos em horário integral. Logo após o término da graduação, você faz uma prova, como se fosse um novo vestibular, para ser cirurgião geral. Após dois anos, você faz uma nova prova, desta vez, para Cirurgia Plástica. Este curso tem duração de três anos e é realizado em horário integral, não existe final de semana. Ao todo, são 11 anos de estudos. Isso para ser um cirurgião plástico básico, porque existem pessoas que se especializam mais ainda em outras áreas.

9.Seduzidas pelo preço reduzido, muitas brasileiras têm atravessado a fronteira e ido para a Venezuela para fazer procedimentos cirúrgicos. Mas, há casos de mulheres não só de Roraima, como também do Amazonas, que voltam com seqüelas ou morrem em decorrência dessas cirurgias. Como você avalia esta questão? E como o Conselho Regional de Medicina (CRM) tem atuado nestes casos?

O CRM está de mãos atadas, porque os procedimentos são realizados em outro país e não é contra lei ir para outro país. Nós temos um comércio muito grande hoje em dia, de pessoas que levam mulheres para Venezuela para fazer cirurgia. Mas, os dois grandes pontos são: ao ir para lá, você não é cidadão do país, é um estrangeiro. Outro ponto é que você nunca deveria se colocar em risco em uma situação assim.  Sem falar que a legislação médica na Venezuela é muito diferente e, principalmente, a fiscalização é ineficiente. Portanto, não há uma garantia e o paciente não tem a quem recorrer em casos de complicações. Uma vez uma paciente falou pra mim: “Por que vocês falam mal da Venezuela? Isso é falta de coleguismo!”. Eu respondi que não era essa questão e perguntei a ela se ela operaria comigo se tivesse que assinar um papel me isentando de qualquer responsabilidade em relação ao seu procedimento.  Ela respondeu: “Não, nunca”. É isso que acontece quando alguém vai para lá fazer a cirurgia. Está dando a um médico estrangeiro uma carta de isenção. Se acontecer alguma coisa, ela não terá ninguém para recorrer lá.

10.No caso da prótese mamária, que é a mais comum no Brasil e em Roraima, há algum impedimento para quem vai amamentar?

Depende da técnica. As técnicas brasileiras para implante de prótese de silicone são diferentes das venezuelanas, por exemplo. Quando você não mexe na glândula mamária, geralmente, não há nenhum problema. Neste caso, são realizados os cortes por baixo e a prótese pode estar em cima ou abaixo do músculo. Dependendo do tamanho da prótese, não causará nenhum problema na musculatura. A mama é uma estrutura única e o leite vai passar normalmente. Se você fizer pela técnica aureolar, você tem chances maiores de ter algum problema de amamentação.

11. A lipo é um dos procedimentos mais procurados. Mas, muita gente teme a cirurgia por achá-la muito “agressiva”, tendo em vista que o médico, para sugar a gordura, movimenta a cânula. O que você pode dizer a respeito?

Hoje em dia, há um refinamento muito melhor na lipo. Não falamos em técnica. Na verdade,  a mão do bom cirurgião é quem define. Tem médico que consegue com uma cânula bem fininha apresentar o mesmo resultado com outras técnicas de lipoaspiração. Mas, quem define a cirurgia é o médico e não a técnica. O ideal é a paciente procurar por um bom médico, não ir pela técnica. Essa questão de perfuração teve seis mortes no Brasil. Porém, nenhuma dessas pessoas que realizaram o procedimento eram cirurgiões plásticos.

13.Tem algum critério de emagrecimento para quem deseja fazer a lipo?

As pessoas costumam associar muito a lipo ao emagrecimento. A lipo não emagrece ninguém. Ela serve para nós lapidarmos o corpo das pessoas, para retirar as gorduras localizadas, para dar um formato ao corpo. A mulher, após os 25 e 30, começa a apresentar depósitos de gordura de forma diferente, acumula mais no quadril, mais na barriga, isso é absolutamente normal por causa da idade. A lipo serve para isso, para tirar gordura localizada. O cirurgião tem também um limite de retirada de gordura, que varia de acordo com o peso, com a idade e com a questão da saúde do paciente. Mas, no geral, é tirado, no máximo, quatro 4 litros de gordura. É muito raro ser mais que isso.  O ideal é a pessoa, antes de fazer lipo, estar mais magra conforme o biótipo dela. Tem gente que chega aqui e fala que quer fazer lipo, porque gosta de comer. Não é ideal, porque a pessoa vai engordar. No pós-operatório da lipo, nos primeiros três meses após a cirurgia, o organismo vai te dar mais fome e vai absorver melhor os alimentos. Há uma alteração no apetite. A paciente que faz lipo, ela quer comer o que engorda, tem vontade de comer doce, farinha, massa, é igual final de gravidez, ela tem desejo, por causa da retirada da gordura. Então, a lipo tem que ser muito bem programada e a paciente tem que fazer por motivos certos.

As cânulas são introduzidas através da pele e chegam ao tecido adiposo (camada que vem logo após a pele), de onde aspiram por meio de um sistema de vácuo a gordura localizada. A lipoaspiração pode ser feita com anestesia geral, peridural ou local, dependendo da quantidade de regiões abordadas.Em geral, as cicatrizes de lipoaspiração medem cerca de meio centímetro, mas podem ficar quase imperceptíveis com o tempo, e não causam incômodo. Crédito das fotos e informações: facebook.com/CirurgiaPlásticaOficial

13.Como é o pós-operatório na lipo?

O pós-operatório é muito rigoroso. 50% do resultado final é o regime, que é uma forma de você manter a nutrição com baixa caloria, mutias vezes eu encaminho para a nutricionista também. O segundo ponto é o uso de cintas, que é essencial na lipo. E outra é a drenagem linfática, que na verdade, é o atendimento fisioterápico pós-cirúrgico. A drenagem vai ajudar a dar o formato final e vai impedir a ter irregularidades, ou seja, vai impedir aqueles acúmulos de sangue, nódulos. Massagem mal feita pode complicar tudo o que foi feita. A drenagem deve ser feita por pessoas capacitadas, geralmente, uma fisioterapeuta  com experiência com pós-operatório.

14. Quanto tempo demora para a pessoa ver o resultado final?

Todo o tratamento do pós-operatório demora seis meses. Mas, existem alguns procedimentos que demoram mais que isso. Nariz, por exemplo, demora mais de 1 ano para a pessoa ver o resultado final, porque até seis meses, o nariz está inchado.

Cicatrizes entram no grupo das cirurgias reparadoras. Crédito: drfernandorodrigues.com.br

15.Em que consiste a cirurgia reparadora?

 Esse termo “Cirurgia Reparadora” foi cunhado para fins didáticos, para separá-lo do procedimento meramente estético. Esta cirurgia é feita quando a pessoa tem uma queimadura, uma cicatrização, uma deformidade ou precisa realizar uma reconstrução da mama. A cirurgia no abdômen, por exemplo, é estética, mas também reparadora, visto que o médico põe no lugar a musculatura. Em muitos casos, há um alinhamento entre a estética e a reparadora.

16.A cirurgia plástica feita após a bariátrica está incluída no rol das reparadoras, então?

Sim. Uma pessoa que faz a Cirurgia Bariátrica apresenta, em geral, um excesso de pele, que pode causar diversos problemas, como por exemplo, doenças por fungos e bactérias.

17.Quanto tempo após a bariátrica a pessoa pode fazer a cirurgia plástica?

No mínimo, um ano e meio a dois anos, porque um paciente pós-bariátrica tem deficiências nutricionais e tudo isso tem que ser bem suprido. Então, o ideal é que esteja tudo estabilizado. Muitas vezes, o paciente precisará de mais de uma cirurgia.

18.Muitas pessoas querem fazer vários procedimentos simultâneos, como por exemplo, lipo, implante de silicone, tudo ao mesmo tempo. É possível fazer isso?

Isso é o cirurgião plástico quem vai definir. Depende do tamanho da cirurgia, do porte. Varia muito. Se o paciente tiver uma saúde muito boa, os exames estiverem muito bons, então pode ser possível sim. O ponto é que quanto mais cirurgias, mais sangramento, mais demora no procedimento e, ao mesmo tempo, tem aumento de risco, anestesia. Cada caso é um caso. Você precisa discutir bem com o seu médico.

 

Espero que tenham gostado do post! Quem quiser entrar em contato com o Dr. Antero Frisina, o consultório dele está localizado no Hospital da Mulher. Telefone para contato: 98111-6242

 

Gostou? Deixe seu comentário

Comentários

3 Comentários em TIRE SUAS DÚVIDAS SOBRE CIRURGIA PLÁSTICA

  1. Suelen Belo
    20 de agosto de 2016 at 15:42

    Adorei a entrevista, como sempre!!! Seus post`s são maravilhosos. Parabéns Rapha.